cotidiano-cab1linhaazul

    ÁUSTRIA FECHA SETE MESQUITAS E EXPULSA LÍDERES MUÇULMANOS

    O chanceler conservador austríaco, Sebastian Kurz Foto: REUTERS/Francois Lenoir

    O chanceler conservador austríaco, Sebastian Kurz, anunciou, esta sexta-feira, que as autoridades do país vão expulsar imãs financiados a partir do estrangeiro e fechar sete mesquitas para lutar contra "o islão político".

    Esta decisão prende-se com a controversa reconstituição, por crianças vestidas como soldados, de uma batalha emblemática da história otomana, numa das principais mesquitas de Viena, próxima da comunidade turca, afirmou.

    Além do encerramento das mesquitas, o governo austríaco anunciou que vai expulsar numerosos imãs que recebem financiamento exterior (supostamente da Turquia) para difundir ideias extremistas e doutrinar menores de idade.

    "As sociedades paralelas, o islão político e o extremismo não tem cabimento na Áustria", declarou numa conferência de imprensa em Viena o chanceler.

    DINAMARCA PROÍBE VÉU INTEGRAL ISLÂMICO EM ESPAÇOS PÚBLICOS

    O parlamento dinamarquês aprovou uma lei que proíbe o uso do véu integral islâmico (burca ou niqab) no espaço público, seguindo assim outros países europeus que já adotaram esta regra como a França e a Bélgica.

    "Qualquer pessoa que use um traje que lhe cubra o rosto em lugares públicos pode ser multada", segundo o texto que foi aprovado por uma maioria de 75 votos contra 30.

    O projeto de lei, apresentado pelo governo de centro direita, obteve a aprovação das duas maiores forças políticas do parlamento: os sociais-democratas e o Partido Popular dinamarquês (populista, anti-imigração).

    A partir de 1 de agosto, data da entrada em vigor da nova legislação, qualquer infração à interdição do uso de véu integral em lugares públicos será punida com uma muta de mil coroas dinamarquesas (134 euros). Se as infrações forem repetidas, a multa pode elevar-se a 10 mil coroas.

    Não foram divulgadas estatísticas oficiais sobre o número de mulheres que usam niqab ou burca na Dinamarca.

    Fonte: https://www.jn.pt/

    Leia mais...

    TERMINA A QUARTA SESSÃO DA APO - ALIANÇA DOS PAÍSES DO ORIENTE

    No passado domingo (06) terminou a 4ª Sessão Oficial da Aliança dos Países do Oriente – APO, em Fazzapur, capital barenita. O foro que reuniu as micronações Orientais foi favorável à declaração enviada pela delegação escorvanesa sobre medidas a serem adotas contra atos de injúria racial e a intolerância religiosa, resultantes do bullying virtual.

    Aberta desde o dia 20 de abril, a quarta sessão foi palco de longo debate sobre pontos específicos do hemisfério oriental; bem como a problemática em torno de possíveis crimes de internet e sua responsabilidade com as leis brasileiras.

    Kfah da Escorvânia, Abbas I, em seu discurso a assembleia no último dia 05, expressou que:

    “O Oriente representa o lado humano do micronacionalismo…”

    Em sua oratória, como representante da delegação escorvanesa, sugeriu aos países da APO, a criação de um “Portal de Denuncias”, que deverá receber as queixas e casos de injúria racial ou intolerância religiosa no micronacionalismo.

    Em seguida, Samir I, rei dos barenitas, representando a delegação do Barin, manifestou seu apoio a proposta, e expressou aos países membros que:

    “…Há muitas formas de se viver o micronacionalismo, mas nenhuma é tão perigosa, quanto aquela que usa de nosso hobby para propagar sua ideologia de ódio. Disfarçados de salvacionistas, muitos são aqueles que sustentam a faceta de benemérito, porém mascarados por testemunhos forjados e preconceituosos…”.

    O texto encaminhado pela delegação damanistani à Secretaria-Geral da APO, prevê medidas contra  a injúria racial e a intolerância religiosa, decorrente do bullying virtual, possivelmente praticados no micronacionalismo.

    O texto propõe que o Bloco receba as denúncias por meio do Portal, que avaliará o teor da queixa, e então, se for realmente um caso concreto de crime de racismo ou intolerância; esse material será imediatamente encaminhado aos órgãos de representação e coordenação política das comunidades Muçulmana e Judaica no Brasil, ou diretamente junto a Polícia Civil e o Ministério Público.

    Fonte: https://portal277.wordpress.com/

    Leia mais...

    PROGRAMAÇÃO DO ANIVERSÁRIO DA ESCORVÂNIA

    O Reino Semita da Escorvânia completará 3 anos no dia 15 de fevereiro, em clima de festa já temos em mãos a programação disponibilizada pela Ministra das Comunicações Aysha Al Feres.

    Programação  -  Aniversário do Reino da Escorvânia

    15/02

    • Centro Santo Elias – Palestra sobre “ São Paulo Miki” e exibição do vídeo sobre Santa Rafqa; Responsável: Sua Alteza Alya Al Haddad Bent Samir Al Feres – Local: Belen
    • Mostra de imagens “ Líbano, uma beleza escorvanesa” - Local: Belen; Responsável:  Sua Excelência Ahava Al Khalil -  Ministra do Turismo
    • Cultura do Principado de Nihon – Hanakotoba – Engimono “ Talismãs do Nihon” –Musicais do Nihon; Responsável:  Sua Alteza Kareema Bent Abbas Al Feres – Ministra do Lazer e Bem-estar
    • Musicais árabes e israelenses
    • Coquetel de Confraternização; Responsável: Kahue Bar e Jerusalém Consultoria e Eventos

      O Jornal Al Hussein estará acompanhando o evento mais importante ao país, vale recordar que os Emirados Árabes Unidos Micronacional projeto antecessor do Reino Semita e hoje anexado completará 4 anos de existência em 21 de agosto.

    Fonte: http://jornalhussein.blogspot.pt/

    Leia mais...

    I SIMPÓSIO DE RELAÇÕES INTERMICRONACIONAIS: LUSOFONIA VIVA!

    Nos dias 7 e 8 de fevereiro ocorreu o I Simpósio de Relações Intermicronacionais da UNAM (União das Nações Americanas Micronacional), o evento ocorreu em Porto Alegre no Sacro Reino de Piratiní.

    Com a participação de 34 micronacionalistas que representaram mais de 8 micronações ativas na atualidade.

    Sua Alteza Elvis Mendonça e Oliveira Al Feres que é Príncipe de Piratiní e Duque de Farroupilha recepcionou todos os convidados e autoridades do hobby.

    Sua Majestade Real o Kfah Abbas I dos escorvaneses representando o Oriente na lusofonia saudou todos os envolvidos.“Sejam todos muito bem-vindos à Porto Alegre, segunda Província de Piratiní!
    Obrigado a todos pela presença no 1º Simpósio sobre relações exteriores da UNAM.
    Em nome de SMR Dom Celso de Piratiní, que lamentavelmente se fará ausente por motivos de doença macro, mas estará acompanhando, em nome de Sua Majestade Real, dou aberto o Simpósio!”
      Sua Alteza Elvis Mendonça e Oliveira Al Feres

    “É com grande alegria que participo deste primeiro Simpósio nas terras de Piratiní, e com toda certeza acredito que será proveitoso aos participantes e palestrantes. O Reino da Escorvânia incentiva boas práticas nas Relações Intermicronacionais e mantém cooperação com parceiros importantíssimos no cenário lusófono.
    Nestes dois dias devemos aumentar nosso network e sairemos de Porto Alegre com grandes avanços e novas ideias.
    Estarei abordando um tema necessário atualmente, o comércio e negociação nas Relações Intermicronacionais, e conto com a presença de todos nesta palestra.
    Estou feliz por encontrar micronacionalistas renomados e que possuem um espírito empreendedor neste Simpósio’”.
     SMR Abbas I da Escorvânia

    Notamos na abertura do Simpósio representando os escorvaneses Sua Excelência Ahava Al Khalil, Ministra do Turismo e Sua Excelência Abdallah Al Hussein que é Ministro dos Direitos Humanos.

    O Reino Unido de Brigância e Afrikanda  foi representado belissimamente por Sua Majestade o Oba Emerson dos brigantes, também autoridades do Império Alemão, Reino da Itália, Reino Unido de Pathros, Império da França, Império Bizantino, União dos Estados da Platina, Reino de Gastón, TerraNova e  Principado de Maryen foram destaques em Porto Alegre.

    Sua Majestade Celso de Piratiní mesmo com uma forte gripe fez um esforço e chegou no evento para agradecer todos os palestrantes e participantes.

    “Ainda enfermo, saúdo a todos e agradeço em nome da UNAM pela participação e esperamos que todos possam contribuir para o crescimento de nosso hobby, meu filho o Príncipe Elvis de Piratiní já deu por abertos os trabalhos deste simpósio e por isso colocamos o espaço a disposição dos Palestrantes para que possam postar seu material para apreciação de todos.”  Sua Majestade Celso de Piratiní

    O Premier do Reino da Itália Sua Alteza Neimar Bionaz comentou sobre a necessidade de contribuirmos pacificamente nas relações Internacionais.

    “A experiência que tive na Chancelaria Real Italiana, ajudou-me a compreender melhor o mundo da diplomacia, que tempos atrás eu até tinha medo, pois os "egos" às vezes me diziam pra não me meter com isso, pois às vezes parece ser um ambiente muito temeroso. Também não gostava nem da ideia de ser padre da igreja micro, por achar que com a fé das pessoas não se brinca, não se "xinga" (pois é o que eu assistia nos bastidores). Quem vai querer se incomodar e ser mal visto? Mas, aprendi a ver o micromundo com outros olhos, os olhos das possibilidades, os olhos do dinamismo que este maravilhoso hobbie possui. Resolvi fazer a diferença e às vezes tapar meus ouvidos às más influências e pessoas desnecessárias, fazendo a minha parte, mostrando que podemos ser e fazer micronacionalismo de qualidade. Bom micronacionalismo e seu, é também o meu, é o nosso, se fazemos o que deve ser feito.

    Sendo religioso (também macro), vou sempre apoiar iniciativas pela paz no micromundo. Tem aqueles que dirão, que o "padreco" aqui é ingénuo, que o micromundo precisa de uma "briguinha" ou outra por aí... bem, sou insistente e peço, conclamo todos para nos irmanarmos pela paz e respeito. Diante de sinais de ódio, até por ser um ambiente virtual onde é fácil se esconder atrás de uma personalidade inventada, sei que podemos fazer diferente e fomentarmos a paz. Parece alo chato, pedante, mas é do que mais precisamos: saber conviver, saber viver em paz, saber respeitar e ser respeitado”  S.A. Neimar Bionaz

    Durante a participação do representante italiano, manifestaram-se os monarcas, Sua Majestade o Oba Emerson de Brigância, Sua Majestade Celso de Piratiní e Sua Majestade o Kfah Abbas I da Escorvânia.

    “Comungo da mesma opinião, e acho que se todos pudessem opinar pensando desta forma, poderíamos realmente fazer do Micronacionalismo Lusófono algo muito grande, pois só fortalecendo o hobby é que poderemos ter projetos consistentes, e para isso a paz entre as Micronações deveria ser primordial para que juntos possamos aprender mais sobre o micronacionalismo.” SMR Celso de Piratiní

    “Não deseja um servo, a serviço do bem, ser loquaz e rebuscado. Apenas a veracidade e as boas intenções de Vossa Excelência Reverendíssima  já nos fazem mais sensíveis para relações diplomáticas mais humanas.” SMR o Oba Emerson de Brigância

    “Admiro Vosso trabalho nas Relações Intermicronacionais da Itália, Micronação exemplo de diplomacia e pacificação na lusofonia.” SMR Abbas I da Escorvânia

    “Há tempos venho percebendo que a diplomacia vem sendo utilizada como forma de barganha no micronacionalismo. "Eu te reconheço se você manter distancia de tal micronação" ou "Se você assinar tal acordo nosso reconhecimento estará ameaçado porque micro x não gosta de nós". Reconhecimentos não são dados e até tratados são desfeitos seguindo essa ideia de barganha.O Príncipe Soberano de Maryen criticou duramente micronações ou indivíduos que usam da diplomacia para realizar certas “ barganhas” no mundico.

    Esse tipo de prática bota em cheque a seriedade diplomática micronacional. Igualmente, o ato de reconhecer micronações sem qualquer qualidade ou compromisso com a seriedade. Não estou julgando ninguém, mas este ato (de reconhecer micronações sem qualidade) só dá oxigênio para que essas micronações se espalhem.

    Devemos manter nossa política diplomática centrada na seriedade e no respeito aos tratados que são assinados. Devemos levar adiante os acordos que decidimos fazer entre micronações amigas. Devemos reconhecer micronações que mereçam serem reconhecidas, que mostrem seriedade e respeito pela prática micronacional.

    Temos que mudar o cenário da diplomacia micronacional para que ela se torne mais séria. Respeitemos nossos acordos, façamos com que eles deem frutos que nos orgulhemos de colher no futuro. Assinar acordos somente por assinar deve ser uma prática a ser deixada de lado. Teremos ainda mais força se trabalharmos juntos e a diplomacia pode ser o grande imã entre as nações.” Sua Alteza Soberana Thomas de Maryen

    O Império da França comentou sobre  a importância dos Tratados e acordos na lusofonia, Sua Alteza o Príncipe Imperial  Louis Charles  Orleans Umbrio Maclogos Pelegrini demonstrou a visão francesa sobre o respeito e dignidade dentro da lusofonia.

    Sua Majestade Imperial Francisco  I Alexandre do Império Bizantino convidou todos os  participantes a refletirem sobre o trabalho de um embaixador.

    “E mesmo considerando que a UNAM e a Liga das Micronações possuem aspectos internos que podem ser melhorados, não deixo de considerá-las um espaço para cooperação que orienta a humanidade a um futuro mais próspero.”  Sua Majestade Imperial Francisco  I Alexandre

    SEGUNDO DIA DO SIMPÓSIO

    No dia 8 de fevereiro o micronacinalista Felow Darcy de TerraNova representou sua Micronação demonstrando a visão inovadora de um projeto lusófono.

    “E que o apreço às pluralidades esteja acima de qualquer iniciativa e que estes sirvam de base para construir tratados e convenções e ao mesmo tempo, anular determinados acordos quando não cumpridos ou na medida que não atingem seus princípios e objetivos.
    Penso que somos capazes de fazer discursos lindos e muito bem elaborados que serão aplaudidos por todos. Quando sairmos pela porta deste Simpósio as luzes serão apagadas e os problemas seguirão. Não podemos deixar as palavras ficarem sepultadas para trás. Proponho então, que se faça um movimento de aglutinação de micronações interessadas e dispostas a elaborar este código deontológico assumido pelos chefes de Estado, autoridades nacionais e agentes diplomáticos.”
     Felow Darcy de TerraNova

     Sua Majestade o Kfah Abbas I da Escorvânia apresentou uma palestra denominada “Comércio e negociação nas Relações Intermicronacionais”, e disponibilizou o material em PDF aos participantes, futuramente também deverá estar disponível na Biblioteca de Raiab.

    “Durante minha experiência micronacional na lusofonia que se iniciou no ano de 2009 notei deficiências que encontramos também em nossa vida macro. Uma delas foi à falta de conhecimento que alguns praticantes do hobby possuíam sobre tradição, cultura, costumes e relações de negociação com outras Micronações. Quando é tratado o termo “negociação” podemos entender como algo usado tanto na economia micronacional, bem como nas relações intermicronacionais. É importante ressaltar que os Negócios Intermicronacionais são focados na abordagem comercial entre Micronações, mas em certo momento também fazem parte das Relações Intermicronacionais.” SMR Abbas I da Escorvânia

    “Conhecer antes de iniciar trabalhos diplomáticos, valorizar a cultura alheia. Já rompi com um chefe de Estado por esse não querer enfrentar os trâmites burocráticos e os protocolos de visita do Reino de Brigância. Querer fazer tudo rapidinho, às coxas, informalmente, é um sinal de desleixo e te ajuda a desrespeitar as tradições alheias.” SMR Oba Emerson de Brigância

    “Para mantermos relações intermicronacionais duradouras devemos conhecer nossos parceiros, ou todo o esforço diplomático feito para trazer benefícios a ambos é jogado ao vento. O ano de 2018 na lusofonia presenteia todos com Micronações de origem americana, oriental, europeia e africana. Mesmo sua maioria sendo de origem macro lusófona, existem particularidades em cada cidadão destas Micronações. Demonstrar conhecimento sobre a tradição e história de determinada Micronação, mesmo que pouco, deixa seu futuro parceiro honrado, e contará muitos pontos na mesa de negociação.” SMR Abbas I

    O Império Alemão foi representado pelo micronacionalista Fernando H. Cardozo que defendeu o direito de expressão e pensamentos diferentes na lusofonia.

    “A contradição de ideias não pode ser encarada como uma afronta pessoal. Quem está na chuva precisa estar pronto para se molhar, mas tal não equivale dizer que simplesmente contrairá uma pneumonia letal pela simples exposição à uma garoa. E as relações exteriores têm perdido muito significado por infantilizarmos a diplomacia tornado-a em um mero sectarismo de amiguinhos. Devemos resgatá-las e sem demagogia.” Fernando H. Cardozo

    O evento ocorreu maravilhosamente durante os dois dias e foi finalizado com a presença de Sua Alteza Real Arthur Maclogos Pelegrini do Reino Unido de Pathros, que disponibilizou um material em PDF sobre “Direito Microinternacional”.

    O Jornal Al Hussein congratula todos os participantes do  I Simpósio de Relações Intermicronacionais da UNAM, que demonstraram respeito com a lusofonia.

    Fonte: http://jornalhussein.blogspot.pt/

    Leia mais...

    GASTÓN E ESCORVÂNIA CRIAM CÂMARA DO COMÉRCIO

    Os empresários da Escorvânia e Gastón ganharam mais uma ótima notícia, a criação da Câmara do Comércio Escorvano-Gastonesa que é sem dúvidas alguma pioneira na lusofonia.

    Como noticiado por nossa equipe, no dia 12 de janeiro foi assinado o“ACORDO CIDADÃO ENTRE O REINO SEMITA DA ESCORVÂNIA E O REINO DE GASTÓN”, logo após uma reunião no Palácio Fenício em Dubai foi espaço para discussão sobre economia e incentivo aos empresários do Médio-Oriente e Europa.

    A Câmara do Comércio Escorvano-Gastonesa tem como objetivo principal fomentar o estreitamento dos laços comerciais entre a Escorvânia e Gastón, contribuindo para a geração efetiva de negócios entre empresas e empresários escorvaneses e gastoneses.

    Contamos com uma equipe especializada de profissionais, na Escorvânia e em Gastón, prontos para atender às mais variadas demandas de nossos associados.

    Assessoramos nossos integrantes a superar as barreiras culturais existentes na relação Escorvânia-Gastón e recomendamos soluções estratégicas para facilitar a concretização de negócios e a geração de resultados.

    Desenvolvemos uma prestação de serviços personalizada para atender às necessidades de nossos associados”. - Câmara do Comércio Escorvano-Gastonesa

    Em Dubai esteve presente Sua Excelência Irina Sopas que é Presidente do Gabinete Real de Gastón, Sua Majestade Real o Kfah Abbas I da Escorvânia  e Sua Excelência Suleyman Al Hussein o Grão-Vizir escorvanês.

    “Vejo como algo inédito na lusofonia tal projeto que visa colaborar com o incentivo empresarial privado, Escorvânia e Gastón trazem para a lusofonia e anglofonia algo simplesmente fantástico aos olhos dos economistas.” S.A.R Hafez Al Feres – Ministro da Economia.

    “A CCEG realiza diversos eventos anualmente, entre seminários, workshops, cafés-da-manhã, almoços-palestras, conferências, missões empresariais tanto na Escorvânia como em Gastón, além de formatar eventos especialmente para empresas associadas.

    Os eventos têm como principais objetivos debater ideias, promover networking e fomentar negócios, visando a promoção das empresas escorvano-gastonesas. Os palestrantes possuem grande expertise em suas áreas de atuação, trazendo relevantes temas para debate com os associados da Câmara. Inúmeros desses eventos contam com a participação de autoridades governamentais, além de executivos, especialistas e académicos de destaque no cenário micronacional e microinternacional.” CCEG.

    O Estatuto da CCEG pode ser visto no sítio oficial da Câmara www.stock.reinodegaston.com/cceg/, sua sede e foro fica na cidade de Nekane, mas também  possui uma filial em Belen.

    As missões empresariais e comerciais têm como objetivo reunir empresas de ambas micronações, interessadas em ampliar os seus negócios e buscar o contato com novos mercados, auxiliando, desta forma, a expansão e a consolidação da presença das empresas gastonesas e escorvanesas no mercado local e global.

    Divulgação nos meios de comunicação: website, Boletim Informativo, publicação de artigos, envio de e-mail marketing para uma extensa lista de contatos, apoio na assessoria de imprensa”. CCEG

    “ O Ministério da Economia deverá criar propagandas e incentivos, com objetivos de informar o empresário escorvanês das oportunidades e negócios em Gastón”. S.A.R Hafez Al Feres - Ministro da Economia.

    O Jornal Al Hussein parabeniza o Reino de Gastón e Escorvânia por formalizar um projeto profissional no micronacionalismo.

    Fonte: http://jornalhussein.blogspot.pt/

    Leia mais...

    I CONFERENCIA DE COOPERACÍON SUDAMERICANA Y ORIENTAL

    Aconteceu nos dias 29 e 30 de dezembro nas Ilhas Malvinas a Conferencia de Cooperación Sudamericana Y Oriental, com participação do Reino da Escorvânia, Sacro Reino de Piratiní e República Platina.

    Na programação os lideres de cada micronação deveriam abordar temas importantíssimos para a lusofonia, o encontro ocorreu no Hotel América em Stanley ( Platina).

    Nós os povos das Américas precisamos manter nossa independência e trabalharmos um bom micronacinalismo, sem interferências negativas de projetos autoritários.” disse Jon Juan Escobar de Platina. O Patrono de Platina iniciou às 8:00 a solenidade de abertura da Conferencia Sudamericana, agradecendo a presença dos lideres da Escorvânia e Piratiní.

    Às 8:40 foi apresentado um pouco da cultura e tradição da música Andina Instrumental, que foi admirada por todos, e às 10:00 um coffe break com frutas típicas de Platina foi oferecido.

    Sua Majestade o Kfah Abbas I iniciou às 10:45 o tema “A importância da ética no web jornalismo micronacional”.

    É importante incentivarmos um trabalho de imprensa com qualidade e ética. Nós temos conhecimento que muitos dos jornais criados em micronações servem apenas como armas de ataque ou marketing, esquecendo totalmente do respeito a profissão de web jornalista. Desta maneira podemos desenvolver um trabalho em conjunto em busca de uma imprensa livre, ética e profissional. Em 2018 é importantíssimo que os países das Américas e Oriente aprimorem a cooperação entre agências de notícias e web jornalistas autónomos, demonstrando a verdadeira maneira de se produzir notícias para o benefício da lusofonia. É papel do web jornalista procurar todos os lados da moeda e trazer uma informação verídica dos fatos, sem usar deste meio para lançar um sensacionalismo que apenas denigre a imagem do hobby. Podemos dar exemplo demonstrando o código de ética dos jornalistas brasileiros, pois maioria dos praticantes do hobby na lusofonia são de origem brasileira. No Artigo 4 do capitulo II do referido Código podemos ler " O compromisso fundamental do jornalista é com a verdade no relato dos fatos, deve pautar seu trabalho na precisa apuração dos acontecimentos e na sua correta divulgação".

    É importante aos web jornalistas na lusofonia manterem um trabalho de qualidade e principalmente respeitando a ética desta maravilhosa profissão. Outra questão especial é respeitar o direito à intimidade, à privacidade, à honra e à imagem do cidadão, defendido pela Federação Nacional dos Jornalistas no Brasil. Devemos debater e divulgar os direitos dos web jornalistas e também cobrarmos explicações dentro do código de ética quando ocorre alguma situação criminosa ou que agrida os direitos humanos. Este trabalho deverá trazer benefícios a todos os micronacionalistas. E como podemos aprimorar este pensamento? Devemos em conjunto trabalharmos na criação de leis e centros de divulgação em nossos países para respeitarmos os direitos do web jornalista e de todos os micronacionalistas”. SMR ABBAS I da Escorvânia.

    O Patrono Jon Juan Escobar de Platina às 11:40 iniciou o tema “Cooperação na Educação e Cultura de países latinos e orientais”, o Reino da Escorvânia e Piratiní se mostraram solidários aos projetos educacionais de Platina.

    O micronacionalismo deve ser feito com cooperação, respeito e amizade, não somos apenas um número, mas cidadãos que trabalham para a evolução de nossos países. Espero sinceramente que em 2018 cada micronacionalista continue trabalhando e desenvolvendo suas habilidades, mas lembrando de que estamos em um hobby e todos merecem dignidade. Participar desta Conferência é algo gratificante, pois os países da América do Sul podem fazer a diferença”. Sua Alteza Alya Al Feres - Presidente da Assembleia Nacional escorvanesa.

    Fonte: http://jornalhussein.blogspot.pt/

    Leia mais...

    GASTÓN E ESCORVÂNIA ASSINAM ACORDO CIDADÃO

     

    No dia 10 de janeiro Sua Majestade Real o Kfah Abbas I e Sua Excelência o Grão-Vizir Suleyman Al Hussein viajaram para Nekane no Reino de Gastón, com objetivo de firmarem algo histórico para o Oriente. O encontro ocorreu no Palácio Sapere com a presença de Sua Excelência Irina Sopas que é presidente do Gabinete Real e representante do Governo de Gastón. Foram 2 dias para concluírem os pontos diplomáticos de cada parte envolvida, e no dia 12 de janeiro foi assinado o “ACORDO CIDADÃO ENTRE O REINO SEMITA DA ESCORVÂNIA E O REINO DE GASTÓN”.

     

    O Jornal Al Hussein vai trazer um pouco dos benefícios deste Acordo na vida do povo de Gastón e Escorvânia.

    Art. 2.º especifica quem terá direito a dupla cidadania, no caso os beneficiados são aqueles que nasceram em solo escorvanês ou gastonês, tiver ascendência direta de escorvanês ou gastonês ou aqueles que adquirirem cidadania de Gastón ou Escorvânia.

    Titulo III do Acordo é sobre a livre circulação de pessoas, confira:

    TÍTULO II – A LIVRE CIRCULAÇÃO

    Art. 3.º A livre circulação dos cidadãos com dupla nacionalidade fica assegurada no Reino de Gastón e no Reino Semita da Escorvânia.

    Art. 4.º A livre circulação dos cidadãos implica a abolição de toda e qualquer discriminação em razão da raça ou credo entre os trabalhadores das micronações, no que diz respeito ao emprego, à remuneração e demais condições de trabalho.

    Art. 5.º A livre circulação dos cidadãos compreende, sem prejuízo das limitações justificadas por razões de ordem pública, segurança pública e saúde pública, o direito de: I - responder a ofertas de emprego efetivamente feitas;

     II - deslocar-se livremente, para o efeito, no território das partes;

    III - residir numa das micronações a fim de nele exercer uma atividade laboral, em conformidade com as disposições legislativas, regulamentares e administrativas que regem o emprego dos trabalhadores;

    IV - permanecer no território depois de nele ter exercido uma atividade laboral, com direito a moradia;

    V - o disposto no presente artigo é aplicável aos empregos na administração pública.

    O escovano-gastonês poderá conferir o teor do Acordo no site oficial da Escorvânia.

    O Reino de Gastón também trabalha em um projeto jornalístico que leva noticia micro e macro, além de ter o Escorvânia Press – A Voz do Oriente.

    “ Gastón representa o ocidente, nós da Escorvânia respeitamos profundamente projetos europeus. Este Acordo é benéfico aos micronacionalistas de Gastón e Escorvânia, o ano de 2018 já começou positivo na Economia, educação e diplomacia.” SMR ABBAS I.

     Fonte: http://jornalhussein.blogspot.pt/

    Leia mais...