Acordo Cidadão entre o Reino Semita da Escorvânia e o Reino de Gastón

No dia 12 de Janeiro do ano de 2018 foi assinado o ACORDO CIDADÃO ENTRE O REINO SEMITA DA ESCORVÂNIA E O REINO DE GASTÓN RELATIVO À SUPRESSÃO DOS CONTROLES NAS FRONTEIRAS (http://escorvaniagov.wixsite.com/escorvania/arquivo-nacional-), logo após vários esforços foram realizados entre o governo de Gastón e Escorvânia, provando que relações entre anglofonia e lusofonia podem ser proveitosas e que estes dois países levam o hobby com seriedade.

Câmara do Comércio Escorvano-Gastonesa

Em Dubai ( Reino da Escorvânia)  no mesmo mês em que assinaram o Acordo Cidadão os empresários Escorvano-gastoneses fundaram a Câmara do Comércio Escorvano-Gastonesa (http://stock.reinodegaston.com/cceg/) que tem como objetivo principal fomentar o estreitamento dos laços comerciais entre a Escorvânia e Gastón, contribuindo para a geração efetiva de negócios entre empresas e empresários escorvaneses e gastoneses.

Escorvaneses recebem cidadania gastonesa     No dia 29 de janeiro o Gabinete do Grão-Vizir Suleyman Al Husseinapresentou ao governo de Gastón os dados e registros de empresas ativas na Escorvânia, este trabalho contou com ajuda do Ministério da Economia.

De Nekane ( Capital de Gastón) Piedade Sopas que é Ministra do Interior no país ibérico assinou o Decreto MI – de 14 de fevereiro de 2018 que conferiu cidadania aos escorvaneses ativos (http://diario.reinodegaston.com/dorg-no-0004mi/).

Gastoneses recebem cidadania escorvanesa

No dia 15 de abril Sua Majestade o Kfah Abbas I assinou o Decreto Real – 003/2018em Belen ( Capital da Escorvânia) que conferiu cidadania aos gastoneses e fez valer o Acordo assinado em 12 de janeiro (http://arquivodaescorvania.blogspot.com.br/2018/04/decreto-real-0032018-cidadania.html).

Presença escorvanesa em Gastón

Os escorvaneses de cidadania macro brasileira marcam sua presença no país anglófono em várias regiões de Gastón.

Segue informações elaboradas pela JEC – Jerusalém Eventos e Consultoria do dia 19 de março do ano de 2018.

Lisardo é a segunda região com maior presença escorvanesa, segundo dados do governo gastonês o local é rico em negócios.

Presença gastonesa em Escorvânia“O Condado é um dos centros científicos, econômicos e governamentais de Gastón. Tem sua atenção voltada para negociações, bancos, indústrias e navegação. É também um importante centro para a indústria marítima e tratados marítimos na Europa. A sua capital é o “lar” de muitas empresas voltadas para o setor marítimo, algumas delas sendo umas das maiores do mundo”. Governo de Gastón

Foram cerca de 15 cidadanias gastonesas para escorvaneses e 17 cidadanias escorvanesas para gastoneses (http://arquivodaescorvania.blogspot.com.br/2018/04/decreto-real-0032018-cidadania.html), somando até o momento 32 cidadanias escorvano-gastonesas.Os gastoneses são de várias nacionalidades macro, dentre elasangolana, italiana, brasileira, portuguesa e colombiana. Como de costume escorvanês todos receberam um clã e nome de origem árabe ou israelense.

Seguem informações elaboradas pela JEC – Jerusalém Eventos e Consultoria do dia 27 de abril do ano de 2018. 

Na Região Central da Escorvânia conhecida como Hatay é onde os gastoneses estão em maior número.

“Raiab foi fundada em 24 de junho do ano de 2015, é uma cidade futurista, rica em educação e oportunidades”. S.A Alya Al Feres Prefeita de RaiabOs gastoneses de origem macro italiana, angolana, portuguesa, colombiana e brasileira fixaram residência na Cidade de Raiab.

“Raiab era conhecida pelo Império Otomano como Süveydiye”. Presidente do Conselho Regional da Cidade -Abdallah Al Hussein

O Reino Semita da Escorvânia possui boas relações com micronações dahispanofonia também, vale lembrar do Tratado assinado com o Império de Akramah, projeto localizado macro no Panamá.

Com estes avanços e atividades entre Gastón que é representante daanglofonia e região europeia, bem como da Escorvânia um projeto semita e representante legitimo do orientalismo na lusofonia, nós temos certeza que ambos os povos são beneficiados.

Fonte: http://jornalhussein.blogspot.pt/

Comentários

comentários